Qual a diferença entre IBAN e SWIFT?

Descubra as principais diferenças entre IBAN e SWIFT, além de saber em que momento da transação eles são utilizados.

Você já ouviu falar de IBAN e SWIFT? Esses dois códigos são necessários para o envio de dinheiro para o exterior e possuem muita importância em todo o processo de transferência internacional.

A partir deles, é possível concluir as remessas internacionais de dinheiro para fora do país com comodidade e segurança. Assim, se você é um usuário de serviços financeiros para transferências internacionais, é importante conhecer esses conceitos em detalhes.

Quer saber quais as principais diferenças dos códigos? Então, continue lendo esse post até o final para aprender! 

Qual a diferença entre IBAN e SWIFT?

Qual a diferença entre IBAN e SWIFT?

IBAN e SWIFT: o que essas siglas representam?

Se você já se deparou com esses dois termos em qualquer processo de transferência internacional, saiba que eles são importantes para a operação como um todo, apesar de ambas as siglas, sozinhas, não mostrarem muito isso.

Sendo assim, vamos conhecê-las:

IBAN: definição e características

O IBAN (International Bank Account Number) funciona, basicamente, como um número de identificação bancária. A partir dele podemos identificar as contas de destinos em remessas internacionais, assim como acontece com contas bancárias no Brasil.

Inicialmente, o código foi desenvolvido apenas para países da União Europeia, mas, com o tempo, seu uso foi expandido e, atualmente, 69 países adotam o conceito na transferência de capital. 

O código do IBAN pode ser composto por até 34 caracteres. No entanto, no Brasil seu formato foi estipulado em 29 caracteres, conforme circular número 3.625 do Banco Central brasileiro.

Exemplo de composição do código IBAN: BR.11.99999999.00055.0000007007.C1 (os pontos utilizados no exemplo são apenas para fins didáticos e melhor entendimento):

  • BR: código do país
  • 11: 2 dígitos verificadores
  • 99999999: 8 caracteres numéricos correspondentes ao identificador da instituição financeira – ISPB, conforme lista de participantes do STR divulgada no sítio do Bacen
  • 00055: 5 caracteres numéricos correspondentes à identificação da agência bancária (sem dígito verificador)
  • 0000007007: 10 caracteres numéricos correspondentes ao número de conta do cliente (com dígito verificador)
  • C: caractere alfanumérico correspondente ao tipo conta, conforme dicionário de tipos do Catálogo de Mensagens e de Arquivos do SFN
  • 1: caractere alfanumérico correspondente à identificação do titular da conta, de acordo com a ordem na listagem de titulares.

Sobre a identificação do titular da conta, segue a regra: “1” para o primeiro ou único titular, “2” para o segundo titular, “A” para o décimo titular, e assim por diante, utilizando os caracteres alfabéticos de “A” a “Z” (incluindo “K”, “Y” e “W”) para os titulares a partir do décimo. Assim, “C9” e “CA” se referem ao nono e décimo titular, respectivamente.

SWIFT: definição e características

Outro código utilizado em transações internacionais, o SWIFT (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication) é um sistema que conecta diversas instituições financeiras ao redor do mundo. A função principal desse recurso é codificar as informações e assegurar a segurança das mesmas.

Desse modo, cada instituição possui um SWIFT único. Isso é importante para evitar fraudes e, por consequência, comprometimento do capital dos clientes. Assim, ao utilizar o SWIFT, as redes conseguem garantir a integridade e sigilo de cada operação realizada.

Em relação ao formato, o código pode ser formado por 8 até 11 caracteres, com sua estrutura sendo subdividida em quatro partes, a saber: 

  • Primeiro código: o do banco;
  • Segundo código: o do país;
  • Terceiro código: o da região;
  • E, finalmente, o último código: o da filial.

Por exemplo, ao usarmos o código COTC.BR.SP.001 temos:

  • COTC é sigla fictícia para Cotação;
  • BR é o código do país de origem do banco;
  • SP é a região que o banco representa;
  • 001 é o número da agência que, caso não exista, pode ser omitida no código SWIFT.

Lembrando que os pontos foram adicionados no exemplo do código para melhor entendimento de como ele é composto.

Leia também: o que é VTM e como utilizar?

Entendeu as principais diferenças do IBAN e SWIFT?

Apesar de ambos representarem códigos de transações internacionais, o IBAN e SWIFT têm funções diferentes na prática.

O primeiro representa a instituição financeira e os dados da conta, enquanto o segundo permite que as instituições se conectem em uma grande rede mundial, de modo totalmente seguro.

O sistema Remessa Expressa, da Cotação, por exemplo, faz uso dessas duas siglas diariamente. Com milhares de transações acontecendo na plataforma, é preciso apostar em um sistema seguro para todos os usuários. 

Assim, atender os mais de 2,5 milhões de clientes da empresa só é possível por meio da alta tecnologia encontrada no sistema, bem como processos de segurança para tornar toda e qualquer operação segura. Dessa forma, se você precisa fazer uma remessa online, pode confiar no serviço da Remessa Expressa para essa finalidade.